Um chefe sem energia

O chefe não deve contentar-se com tomar uma decisão; é necessário que essa decisão “se inspire na realidade”. O que conta não é a ordem que se dá, mas a ordem que se executa.

Um chefe sem energia não saberia ser chefe. Não se trata, porém, duma energia brutal; antes duma energia realizadora que, proporcionando o seu esforço ao efeito que deseja obter, reserva sempre possibilidades para não ficar sem fôlego no momento de subir a encosta.

O chefe deve ser firme e não se deixar deter pelo primeiro obstáculo; conhece a divisa; ao “coração forte nada é impossível”, e, segundo a fórmula do General Clement-Grandcourt, “o verdadeiro chefe, civil ou militar, espiritual ou temporal, sabe fazer o possível com o impossível”; é mesmo nisso que se reconhecerá o chefe.