Comandar-se a si próprio

Para conservar a calma, é necessário possuir o hábito de não dramatizar nada e de, na expressão de Foch, “não levar ao trágico as coisas simples, nem simplificar as coisas trágicas”. O chefe que quer ser digno de comandar deve começar por ser capaz de comandar-se a si próprio. Sem o domínio de si, ninguém […]

Na hora de perigo

Instintivamente, na hora de perigo, fita-se a cara do chefe: se nele se surpreende enervamento ou angústia, tal impressão reflecte-se na colectividade, com um coeficiente tanto mais forte quanto mais amado é o chefe e se julga poder contar com ele. Um dos generais de Verdum, que no seu posto, esperava do comando as notícias […]

Para manter a calma

Todos aqueles que foram à guerra se lembram de, como nos momentos difíceis, a tropa fixa no oficial que a comanda o seu olhar inquieto; a calma ou o disfarce prazenteiro dum jovem cabo não seria, nesse caso, causa de maior confiança do que os berros histéricos dum velho sargento? Para manter a calma, o […]

Repousar é uma arte

Repousar é para o chefe uma arte, arte indispensável, e o chefe que a descure por sua culpa fica exposto, mais hoje mais amanhã, a perder o equilíbrio dos seus movimentos. Gengis Khan dizia que o chefe infatigável não serve para comandar. O chefe, à força de dar, esvazia-se rapidamente, se não cuidar do seu […]