Que os vossos juízos sejam sempre provisórios

O chefe protegerá sempre os seus súbditos mesmo que as suas ordens lhes mereçam reparos; deve irradiar lealdade, porque é desonra para o chefe condenar seus inferiores à duplicidade de carácter, porque ele próprio não procedeu com rectidão.

Tende a certeza de que todo o ser humano é perfectível. Que os vossos juízos sejam sempre provisórios e nunca irrevogáveis. Guardai-vos de nunca “classificar” definitivamente um homem. Nada seria mais injusto nem mais desanimador.

Não há nada que de antemão tanto diminua o esforço que qualquer homem tente fazer para se elevar ou corrigir como o pensamento dum “para que sirvo? estou classificado”.

Sede sobretudo prudentes perante pessoas que não vedes senão raramente. Acautelai-vos da impressão que vos deixaram em encontro fugidio, de há muitos anos. É natural que, depois, já se tenham modificado. Não vos fieis unicamente nas vossas recordações.