Pessoas que censuram sempre

Acautelai-vos desse deplorável capricho dos velhos chefes rabugentos aos quais o mais louvável esforço não arranca senão um “Pâh!” desconfiado, e cuja paixão não se satisfaz senão com a censura.

«Se observais com cuidado, vereis que são as pessoas que não podem louvar e que censuram sempre, que não estão satisfeitas com ninguém; reconhecereis que são estas mesmo de que ninguém gosta».
(La Bruyère)