Para chegar ao fim das coisas

Não há funções nem seres inferiores; inferior é cumprir mal a sua missão.
(Péguy)

Para chegar ao fim das coisas, o primeiro passo é julgá-las possíveis – dizia Luís XIV.

A acção em comum, qualquer que seja, exige o sacrifício de muitos interesses particulares, supõe tensão rigorosa das forças, disciplina cerrada das liberdades para vir a ser mais qualquer coisa do que fé, sopro, mística.