A primeira lei do grupo

Não há nada mais perigoso para a unidade e eficiência dum grupo do que as críticas sistemáticas dum eterno descontente. Assim como a crítica é tonificante quando, embora viva na sua forma, é benevolente e construtiva no seu fundo, assim se torna dissolvente, quando, embora suave na sua expressão, é negativa e cortada de azedume.

A atmosfera dum grupo em que cada elemento anda à espreita dos erros dos outros, depressa se torna irrespirável e atrofiante.

A primeira lei do grupo é o auxílio fraterno, ao serviço da missão desse mesmo grupo. Querer elevar-se à custa dos outros, gostar de apontar as deficiências dum colega, é minar a unidade do grupo e torná-lo incapaz de realizar a sua missão.