A inadaptação à realidade e aos homens

A inadaptação à realidade e aos homens constitui a primeira inaptidão para o comando.

Em França, sob a influência das filosofias subjectivas, por causa do ensino exageradamente livresco, a inteligência deixou de ser, para muitos, a faculdade de observar a realidade; e passou a ser a faculdade de especular e dissertar brilhantemente. Dum homem com habilidades para falar diz-se: “que é inteligente”.

Arquitecta sistemas na sua cabeça, congemina hipóteses; julgar-se-ia em falso, se descesse à realidade das coisas. Residiu aqui a grande fraqueza, em todos os departamentos da actividade nacional, dos nossos Estados-maiores. Muitos espíritos brilhantes habituaram-se de tal maneira aos malabarismos dos sistemas financeiros, económicos, militares, que perderam o contacto com as realidades simples da vida humana e previamente com o bom senso. (Forestier)

Ter o sentido da realidade, é primeiramente conhecê-la objectivamente e conhecer o que a realidade pode, no presente e no futuro, conter de possibilidades.

Ver com clareza, com verdade, com justiça – tal deve-ser a visão do chefe.