A arte de conduzir homens é difícil

A arte de conduzir homens é difícil. Primeiramente, porque depende dos dons naturais desigualmente repartidos, mas também porque as leis psicológicas que estão na base das relações entre chefes e subordinados são muito pouco conhecidas.

Certo homem experimentado que, já idoso, chegou rapidamente a dirigir com êxito uma indústria, empregando numeroso pessoal, respondia aos amigos que se admiravam de tão pronto triunfo: “Com efeito, eu não conhecia as máquinas, mas conhecia de sobejo os homens.

Antes de tudo, há que proceder à avaliação das pessoas, como duma casa, para ver o que valem.
(Foch)